Na rua Adrianou, antes e depois das ruínas do Fórum Romano, há lojas e restaurantes com vista e boas opções. Quem não quer se arriscar na comida temperada com cebola, tomate e pimentão, um azeite maravilhoso e um pouco de pimenta, pode pedir para tirar uma parte dos temperos ou optar pelo menu italiano. Isso não falta. Mas, estando na Grécia é o momento de experimentar outras iguarias locais, tais como Mousaka (um tipo de lasanha que tem batata na base, berinjela, carne moída e molho branco), lamb com pasta grega (cordeiro em molho escuro com um tipo de massa que parece arroz) e fava como aperitivo (feijão branco amassado como um purê e azeite). Esse último é meio sem graça.

Experimentar o azeite em todos os restaurantes é quase obrigatório. Com pitadas de sal e pimenta do reino, o azeite no prato com pão que sempre é servido e cobrado (€ 1). Na Grécia, mesmo que o cliente não peça o garçom traz uma garrafa grande de água mineral. Se não quiser diga logo.

Em tempos de calor, boa pedida é um vinho branco bem gelado (vinho branco de Creta entre € 15 / 20). Mas, o vinho da casa não faz feio (€ 7 uma jarra).

No lanche ou um almoço rápido, o Gyros (€ 2) vai muito bem. É sanduíche feito com um pão branco em forma de disco, que é enrolado como um casquinho de sorvete e recheado com carne de porco, cordeiro, frango ou misto, com pimentão, tomate e batata frita.

Os petiscos, aliás, são muito interessantes. Mas, o destaque são os queijos, especialmente Féta, que pode ser servido cru com pimentão, tomate e cebola e pão. Mas pode ser à milanesa ou frito no azeite, bem tostado. Em geral, um prato serve bem duas pessoas. Dividir não é um problema.

Ir a restaurantes em algumas praças nas imediações da Acrópole e cafés nas ruas dessa mesma região são alternativas para quem vai ficar mais de dois dias na capital. Conhecer o Hard Rock Café de Atenas (na Avenida Fillelinon, pertinho da Syntagma) é programa para quem gosta dessas redes e vai encontrar um prédio de quatro pavimentos, além da loja da marca.