De TUDO QUE VI o passeio pelo bairro hstórico Ganla Stan, onde a cidade foi fundada, reserva algumas das melhores atrações, junto com a boa gastronomia e a visita a museus e ao excelente parque Skansen, que reproduz o modo de vida do país ao longo dos séculos.

No coração da Escandinávia, capital da Suécia, com trânsito e jeito de uma metrópole, com seus dois milhões de habitantes, e ótimas opções para o visitante. Em Estocolmo, apesar desse agito que não se encontra nos países nórdicos vizinhos, o tempo deixou um legado de uma rica história em muitos prédios imponentes e os braços do Mar Báltico que banham esse arquipélago e suas 14 pequenas ilhas, quase todas ligadas por pontes.

Estocolmo abertura

Não há uma paisagem indicada como referência para aquela foto da viagem. É a harmonia entre prédios modernos e históricos, o verde, a água, é esse conjunto que marca Estocolmo, sede de várias indústrias com atuação mundial, especialmente em áreas de tecnologia e automobilística, mas que conserva uma importante preocupação ambiental.

No final de setembro, quando estivemos na cidade, encontramos longos dias de sol com temperatura média de 15 graus e baixando rumo ao rigoroso inverno da região.

O moderno aeroporto internacional Arlanda tem fácil ligação por ônibus e por um trem expresso com o centro da cidade, de onde é possível sair a pé para vários lugares de interesse. O trem Arlanda Express leva 20 minutos nesse trajeto por cerca de €27 e encerra atividade à meia noite. O ônibus Flygbussarna leva o dobro do tempo e sai por cerca de €11.

Aproveitamos a qualidade de vida da cidade e da Escandinávia. Começamos o tour por Oslo, na Noruega, passamos pelos fiordes do interior do país, antes de chegar a Estocolmo e seguir depois para Helsinque, na Finlândia (não faz parte da Escandinávia, mas é totalmente integrada), e Copenhague, na Dinamarca. No final desse post tem os links com essas histórias.

Nas ruas centrais ficam as principais lojas do comércio: magazines, grifes, marcas locais, de design local e muito mais. É lugar certo para encontrar muita gente. E tem muitas obras de arte que se destacam na paisagem, no meio da rua.

Escultura contra a violência foi um presente para a Princesa Victoria e está no centro da cidade

Escultura contra a violência foi um presente para a Princesa Victoria e está no centro da cidade

Até nas calçadas há obras bem curiosas, como esse urso enrolado em cobertor, que pode ser confundido com uma pessoa.

Estocolmo escultura bolsa

Para deslocamentos maiores o passe de transporte público para um ou mais dias (ônibus, trem, tram e metrô) é uma boa opção. O Stockholm Card inclui entradas em várias atrações.

Saímos da área comercial e fomos caminhando em direção ao Ganla Stan, bairro medieval onde a cidade foi fundada.
A primeira parada é o Palácio Real. A troca da guarda é a principal atração, especialmente no verão, quando acontece mais de uma vez ao dia. Há dias em que a banda da guarda se apresenta. Os soldados fazem evoluções cercados pelos turistas.

Estocolomo palácio real

O palácio é a residência oficial da família real e possui 600 cômodos. Algumas áreas podem ser visitadas. O rei Carlos XVI Gustavo é casado com a rainha Silvia, cuja mãe era brasileira. Nesse e em outros prédios reais ou do governo aparecem três coroas, símbolo característico, como pode ser visto na foto abaixo. É o detalhe dourado no alto do prédio.

Estocolmo três coroas

Para quem curte visitar palácios reais, pode pegar um barco e em uma hora chega a Drottningholm, residência de campo da família real com seus jardins franceses.

Ainda em Ganla Stan passamos na prefeitura (Stadhuis), que fica na beira da água, com um lindo visual e onde as pessoas aproveitam para contemplar a paisagem.

Estocolmo jardim prefeitura

A visita guiada dentro do prédio mostra detalhes do museu do Prêmio Nobel. Ainda hoje esse é o local de entrega de quatro das cinco categorias do Prêmio. Apenas o Nobel da Paz é entregue na prefeitura de Oslo, capital da Noruega.

Detalhes dos ambientes internos da prefeitura, com artes, pinturas e decoração

Detalhes dos ambientes internos da prefeitura, com artes, pinturas e decoração

Num rápido deslocamento chega-se à região conhecida como o bairro judeu, cheia de ruelas e pequenas praças, com casario antigo e muitas opções de artesanato e de alimentação.

Ruas estreitas, muitas lojas, cafés e restaurantes no bairro judeu

Ruas estreitas, muitas lojas, cafés e restaurantes no bairro judeu

Aliás, a Suécia é conhecida por ter ótimos restaurantes, tanto de pescados quanto de cozinha internacional. O destaque local é o peixe (arenque e salmão), servido em porção ou em meio a uma típica refeição sueca, um buffet com várias iguarias. Salsicha e almôndega também são bastante encontradas.

Em Ganla Stan ficam, ainda, a praça Stortorget e a Catedral de Estocolmo, outras importantes atrações locais.
No trajeto pelo cais a paisagem tem o lindo casario, pontes e grandes navios e barcos para passeios. Por falar em passeio, basta olhar para o céu para ver balões, que cruzam a cidade aos montes.

Estocolmo balões

Fomos convidados para um jantar no restaurante da Stockholm Globe Arena, complexo esportivo numa área mais afastada da cidade, mas que é uma ótima experiência. Um elevador panorâmico se movimenta circulando o prédio. Todo envidraçado, permite belas vistas, principalmente da cidade iluminada à noite.

Detalhes da Stockholm Globe Arena

Detalhes da Stockholm Globe Arena

O sistema de ônibus de city tour tem três linhas. Escolhemos uma que nos permitiu conhecer museus e o enorme parque Skansen, na ilha de Djurgården, com as suas atrações a céu aberto, mas com muito o que ver dentro de várias casas preparadas para receber o visitante. É considerado o museu mais antigo do mundo e é o grande pulmão da cidade. Cada casinha, que representa uma região do país, tem uma atração: podem ser lojas ou produção ao vivo de alimentos, de vidro, de artesanato e muito mais. Tem cremalheira, um jardim no ponto panorâmico, área com animais, brinquedos. Nesse enorme espaço acontecem grandes festivais.

Uma das melhores atrações da cidade é o Vasamuseet, museu que abriga o navio de guerra Vasa, do século 17, que naufragou na viagem inaugural e foi recuperado no século 20 depois de quase 300 anos no fundo do mar. Todos os detalhes desse enorme navio foram recuperados.

Estocolmo museu navio

Alguns dos quase 40 museus da cidade são gratuitos.

Não é necessário visto de entrada para brasileiros na Suécia. A moeda local é a coroa sueca. O inglês é bastante utilizado, um facilitador para o vistante.

POSTS RELACIONADOS: leia também
Oslo, porta de entrada para os fiordes
O que fazer em Oslo
Transfer do aeroporto de Oslo e a moeda local
Helsinque combina história e modernidade
Copenhague é pra se apaixonar